quinta-feira, 29 de maio de 2008

Ode ao olho




Não é por nada, não
É mais porque gosto de rascunhar papel
É porque quando escrevo assim, ao léu
Dá vontade de falar do céu
Dá ganas de contar do breu.
Mas hoje é só esse olho seu
Que, ai meu deus
É de um castanho de desatino
É um olho assim, de menino
De taurino
Com ascendente em leão.
É olho que, quando a luz é certeira
Tem luxos de mudar coloração
E de roubar minha cor, minha ação
Em espantamento de criança
Em rendição de inseto preso em âmbar
Pontinho preto na sua íris caramelada
Imóvel, exposto em pose atrapalhada
A alma entregue à sua salvação.
E seus cílios agora, então?
São todos feitos de matéria-carinho
Curvadinhos
Ponta de asa de passarinho
Flor de dente-de-leão.
Se eu soprar seu olho, menino
Espalho seus cílios no vento?
E o que acontece na hora
Que eles tocarem o chão?
Será que você vai nascendo
À beira do caminho que ando
Pra, seguido, eu ir te encontrando
E poder segurar sua mão?
Ah, me desculpe, menino
Essa divagação sem tamanho
Mas explico esse súbito assanho
Confesso que há, sim, razão:
É que quando eu fecho o olho
(que estranho)
Nem azul nem breu
É castanho
Que tinge o avesso das pálpebras
E me preenche a visão.

14 comentários:

Marcelo disse...

Não e por nada, não
É mais porque gosto de rascunhar papel

Não há coisa melhor do que rabiscar, rabiscar e rabiscar...

Quero você na Cachoeiro Cult, guria!

daniela disse...

eu quero você na Cachoeiro Cult tbm!

e adorei né, como sempre...tô pra ver você escrever alguma coisa que num seja boa!

ô lindeza genteee.
;**** pra você

Larissa Dardengo disse...

Ah que fofura!!!
Olhos que encantam e prendem toda a atenção.

bjs

monicat disse...

que lindo! me fez lembrar alguém que tem olhos castanhos de me roubar a ação.
:)

kamila zanetti disse...

É de um castanho de desatino
É um olho assim, de menino
De taurino
Com ascendente em leão.

sou eu!

sempre gostei daqui,mas uns duas pra cá tenho amado mais aqui :)

beijos,e eu vou te ver na bienal!

kamila zanetti disse...

uns dias*

blogava disse...

dentre os corações em seu caminho,
se há algum em desalinho,
peço para não se preocupar,
basta apenas em teus poemas olhar,
daí então perceberás,
que na beleza das palavras
a paz somente aqui encontrarás!

bjos amore...
prazer ler seus trabalhos!

Blog Clarice Lispector disse...

Lindo texto, parabéns!

Blog Clarice Lispector disse...

Muito interessante sua forma de escrever, é bonito demais, parabéns!

Renata Mofatti disse...

"gosto de rascunhar papel..." Afinal, rabiscar é preciso... he he he

MUITO BOM!

Renata Mofatti disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Renata Mofatti disse...

Ih! Reparei que o Marcelo comentou quase a mesma coisa que eu. É que nós temos essa doença de "rabiscar" o texto dos outros. É uma dependência sadia!

Flávio disse...

mas que olho mais sortudo! :)

Fernanda Fassarella disse...

Aiaiai meu Deus do céu!

Quanta prosa, quantoamor, quanta delícia!
Estava com saudades daqui!

Lindo e lindo!