quarta-feira, 14 de maio de 2008

Prece de Maria Cândida



Ó, meu pai
Tira de mim essa candura
Nem precisa tirar tudo, aliás:
Some só com esse can
Troque aí por cã
Cadela
Quero ser dura
Cã dura
Cadela difícil
Tem mais graça, meu pai.
Deixa, ao invés, eu ser coisa que queima
(queimadura)
Ser coisa que ata
(atadura)
Coisa que morde
(mordedura)
E, por favor, coisa que per
(perdura)
Não me largue sozinha
No meio dessa ternura
Jura
Com a mão no peito.
É que eu ando mal
Ando muito enjoadinha
Desse defeito
De fábrica.
Enjoada, nada
Ando puta.
Chega de açúcar
Quero páprica
Vermelha
É muito mel, meu pai, muito mel
Quero a picada da abelha.

12 comentários:

Gabriel R. disse...

A abelha, por trás do mel, esconde tanta coisa. Lindo texto, Mi! :)
Recíproca, de fato, é uma palavra engraçada! Hahaha!
Beijo, doce.

blogava disse...

pìo bello, e anche tu...
rsrsrs, nem sei se ta certo, mas blz!!!
;P

lindo poema moça!
bjos

daniela disse...

é forte, tava quase acostumada a coisas bonitas e singelas por aqui.
mas ai você como é boa escritora, e escreve de todo jeito e sempre agrada né...

adoro aqui1
;*

alguém que não é legal disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
alguém que não é legal disse...

Um belo escrito. Aliás, tão bom como os outros. Parabéns, Milena!
beijos,
Alessandra

Larissa Dardengo disse...

Ah gostei..
Gostei e vou voltar... ;)

bjs

lelio caiado. disse...

você imagina alguma melodia quando escreve?
:)

kamila zanetti disse...

muito bom.
porque ninguém é tão doce sempre :)

sempre vou dizer que aqui é lindo

Marcelo disse...

Li quase nada, mas vi quase tudo. Ainda vou te ler toda... e sei que terei gratas surpresas...

Claudia disse...

Estive aqui lendo vc, gostei de encontrar a sua poesia.
Cláudia Sabadini
ps: qdo puder
www.recantodasletras.com.br/autores/claudiasabadini

Renata Mofatti disse...

“Quero picada de abelha que vem da telha
da fresta de uma casa sem festa. O que me resta?
Bater a cara no muro, machucar a testa, enquanto o piano espera:
a pianista, a poetisa, a maestra...”
Ieu merma qui iscrivinhei iço.. Bunitu!!! kkkk

Gabriela Galvão disse...

A picada tah d bom tamanho, pq tm gnte q mastiga zangão!!!

hahah


Li umas coisas aqui; c me lembrou um meu amigo poeta. Poetão, poetíssimo.

E eh chamado o "poeta-pedrada", vja soh...