segunda-feira, 29 de setembro de 2008

L'amour


Saio pela porta com o olhar dele sobre minhas costas. Saio calada, mas esse meu amor mais sem conserto do mundo fica sussurrando au revoir por sobre meus ombros. E pede pra eu voltar sempre.

Sil vous plait

Ele diz, educadinho.

Faz bico, esnoba o vernáculo, traga um cigarro na ponta da piteira envernizada, e, com classe, espera a vez.

Sinto dó.

É que é um amor boboca, de cinema francês.
Coitado, não sabe que só funciona em preto e branco, em tela plana, e que dura um rolo de duas horas.

Com boa vontade, três.

Tadinho, não sabe nada da vida. Não sabe que não cabe àquele homem, que é amor só de freguês, de pipoca, e solução apenas pra dia tedioso de chuva fina.

Esse amor vai perder a pose, cair do salto e ralar o joelho.

Nesse dia eu grito de longe que avisei, ó, teimoso! Talvez volte só pra apagar o cigarro, catar os cacos da piteira, o salto quebrado, soprar o machucado do pobre diabo.

Vai ver até fico (ora, se me posso com olhinho marejado), lhe calço uns sapatos baixos, lhe tasco um curativo, lhe tiro os vícios e meto-lhe, ao invés, juízo, aos bons bocados.

E em bom português falado.




(2007 / 2008)

12 comentários:

Fernanda Fassarella disse...

Ahh, por quê eu venho aqui?
Sempre me surpreendo, sempre gosto, cada vez mais, e você sempre alimentando meu vício.
Adooooooro!!

Beijo coisa flor.
=D

C. disse...

ah, que bonito!
bem escrito. e muito bem sentido ;)

xêro

Ludmila Clio disse...

Quanta delicadeza!
Você é demais, Milena! Parabéns!!!

garota do copo d´água disse...

trés bien
=)
merece pipoca!
rs

monicat disse...

eu perdi a pose, caí do salto, ralei o joelho e tudo mais

Renata Mofatti disse...

Só dura no preto e branco... Moço teimoso com o cigarro quase apagando!!! Faz um curativo e cura o vício do moço bonito... Não vire às costas que vai ser desperdício!!! Tava com saudade... Publica mais!!! Sou Leitora viciada!!!

Bjs

Marcelo Grillo disse...

Me parece que Milena dessa vez nos tascou em cima um roteiro de um curta metragem. Um noir ao melhor estilo francês. Suave. Abstrato. Subjetivo. Sem dublagem. Mesmo sendo descendente de italianos, e preferindo o jeito escandaloso dos latinos, grazie tante, ragazza, pelas palavras que não negam a desnasalização e adoçam o linguajar português de quem carrega tanta paixão nas palavras.

Em bom português escrito.

E penso que um pedaço do penúltimo parágrafo me caberia direitinho. Precisava mesmo de alguém que me tirasse os vícios. Mas esse negócio de meter-me juízo... ah, só se fosse um pouquinho só, que juízo demais faz mal aos poetas... rsrsrs

Milena, vou reler e reler. Aliás, vou assistir e re-assistir. Mas quero pipocas, Milena!

Fernanda Barata disse...

Ai, que coisa mais linda!
Pois quero, também, um filme! E pipocas! Umas salgadinhas e outras com açúcar e mel, tão docinhas quanto esse seu poetar saborosíssimo! cheio de emoções em sua postura sucinta e apaixonada.
Beijão, moça!

Bruna Carolina disse...

cuida dele mesmo!

Caetano disse...

perco o juízo com suas palavras.

Pablo Marques disse...

nuss... quanto tempo num venho aqui e me sinto tao bem depois de lê oq escreve
ultimo q li foi SOZINHEZ posto muita coisa boa depois disso
eu ainda num me bateu mais nda pra escrever =/
maiss.. to sentindo que os ventos do leste de minha mente estão me trazendo muita inspiração x)

e parabéns amei esse texto q to postando e tbm o dilema de uma cor

bjOOo

Gabriela Galvão disse...

Gente tão engraçado que sua escrita parece assim de quem mora na roça e eh cidadão do mundo.

Me soa assim.

Roots.