quarta-feira, 8 de outubro de 2008

Anita Poesia



Anita Poesia,
Nascida mirradinha a esmo
Com sobrenome esse mesmo
E a desalegria de virar piada
De Anita Rima
Anita Prosa
Anita Palavra-Cruzada,
Agora virou moça feita
Contornada
Cintura bem marcada
Boa seguidora de receita
Boa arrumadeira de casa.
Mas seu prazer mais despudorado,
Aquele mais incontido,
É se perder nas eternas provações
Daquela sua dúzia de vestidos:
Seu ritual pagão comprido
De agradecer de manhãzinha.
E se, enfim, decide que chega,
Deixa a cama coberta de flores
Decotes, nesgas e fitinhas,
E sai atrás de pão e manteiga,
Descendo a rua, sozinha,
Encimada por azul-azulejo
E ladeada pelos beijos
Dos rapazes da purrinha
E cantoria das avós
(que cantavam bem assim):

Olhe Anita Poesia,
Com seu cheiro de jasmin
Espalhando seu bom-dia
Colorida como só.
E vai muito bem vestida
Num poema de bolinha
Com barra de sianinha
E manguinhas de filó.

12 comentários:

Ludmila Clio disse...

Milena Paixão.
Milena Amor.
Milena Saudade.
Milena Alegria.
Milena Felicidade...

(estou tentando fazer "piada" com teu nome, rs)

Lindo! Mais uma vez vc tocou no meu coração com tuas palavras.

Márcio disse...

Bela Anita!
Bela Poesia!
Mais uma vez parabéns pelo inspirado texto!

Beijo,

Márcio.

tatitaruira disse...

Virei sua fã

Marcelo Grillo disse...

É numa lida dessas, quando o "galo velho" fica sem palavras para descrever o que sente, que o gaúcho exclama: "Mas o que é que eu vou te dizer!?". Como eu não sou gaúcho, eu digo: "Que coisa mais fofa, Milena!"... (Como vês, meus adjetivos para desrever o que escreves estão acabando. E não dá pra ficar repetindo "Fantástico" a vida inteira"... rsrsrs. Beijo!

Renata Mofatti disse...

Mas "ba guria" que não assino embaixo no que Marcelo disse!!! Não assino, eu posto embaixo!!! Adjetivos se esgotam, mais a admiração vai aumentando... Criaremos neologismos enquanto Milena Poema vai na cor da letra e do dilema... Bjs para essa coisa "fofa"... rsrsrs

Renata Mofatti disse...

Pelo amor de Deus!!! Não é "mais" é "mas" kkkk errinho fatal!!! Errei feio!

RUTE disse...

Oi Milena,

que lindo poema. Os brasileiros tem mesmo mel nas palavras.

Me encantou tua descrição de Anita.

Já respondi ao seu comentário no meu blog. Deixei lá um link directo dum post meu sobre a Cegueira de Saramago e todas as artes em torno desse livro.

Abraço além-mar.

daniela disse...

milenita poesia!
ler você logo cedo me dá uma paz pra continuar o dia, ainda mais em dia de segunda-feira!

;*

C. disse...

que lindo, moça!
a gente vai passeando e se envolvendo tão direitinho, que acaba e nem se sente. tudo amarradinho =]

as tuas coisas eu leio e já vou escutando feito música.



cat power é uma delícia, né?
e beijo no olho...ai ai.


xêro

fmarao disse...

poema bom pra começar o dia mais feliz.

nós disse...

de uma inocência avassaladora.
parabéns :)

Daniel. disse...

sua poesia fala de um tempo que já passou, tem uma pitada de nostalgia, quando li, imaginei uma ciranda, uma trança, uns vestidos longos, barulho de cavalo em passos calmos, cheiro de café coado na hora e fumo de rolo. coisas antigas e perdidas no tempo...
lembrei de algo que nunca vivi, mas parece que esse mundo ameno existe perdido em algum lugar ...