quarta-feira, 6 de maio de 2009

Poema Cético



Não acredito em carma.
Carma, meu bem, só pode ser um nome
Que há muito inventaram
Pra disfarçar obsessão
Coincidência triste
Ou as duas.
Não acredito em gente
Soberba o bastante pra culpar a lua
Por qualquer mau humor
E dizer que planeta tal
Alinhado com aquele outro
É sinal claro de malogro
Dor de cotovelo
Azar no jogo.
Eu, particularmente,
Não ligo pra borra do café:
Prefiro o gosto forte, o cheiro
O susto quente na língua.
O resto, eu dispenso, sabe como é
Que café nenhum vai ler meu futuro.
Baralho eu jogo é de quatro naipes
Em casa de praia, na roda de amigos
E amuleto eu trago de nascença
E levo sempre comigo:
Amor de pai e mãe
Espalhado no avesso da pele.
Daí pode vir olho gordo, magro
E de todas as cores:
Não noto
Não tropeço
Não engordo um quilo.
Os búzios não me dizem nada
Alem da lembrança boa do mar
E mapa, só o político.

Prefiro assim, nada místico:
Que de inferno
Já basta o nosso de cada dia
De gente chata, mesquinharia
De mil contas pra pagar
Da tristeza da criança no sinal.
Inferno bobo,
Aquele do meu signo com outro
Não quero como bode expiatório:
Me cai mal.

E além disso
O que não me sobra é tempo
Pra sofrer de inferno astral.

23 comentários:

M.Maria M. Coutinho disse...

QUE EU DIGO?
PALMAS!
BJO
tava querendo muito ler aqui!
Que bom que esta de volta...

Maria Eugênia disse...

Carma, talvez seja uma desculpa para aqueles que desistiram de lutar...
Lindo, amei o seu novo poema.
Obrigada!

Fernanda Barata disse...

Que lindo, moça :3
Também não acredito nessas coisas, não. É essa mania de querer explicar as coisas.

Gabriela Galvão disse...

Moito bom!

Eu fiquei 15 anos s ler horóscopo e voltei hah pouco tempo. Qd tah bom, bom, qd ñ, irrita. Melhor ficar sem, hahah

Am... Mas oh, essas coisas são estudadas por diversas civilizações ao longo d tantos e tantos anos... Teem meu respeito e crédito. Algum, por enquanto. Mas acho q com o tempo, merecerão muito.

Tah, fica bem e bisous

Bruna Carolina disse...

Paixão, você é apaixonante. Adoro! :*

conversos disse...

Isso é verdadeiramente poesia. Parabéns.

VaneideDelmiro disse...

Milena, vale sempre a pena espera pelos seus escritos, o tempo que for.
Bela construção. Parabéns, poeta!
Estava com saudade.

Ludmila Clio disse...

Queixo caído, palmas calorosas, coração feliz, alma lavada!

São efeitos de tuas palavras!!
Beijos!

Marcelo Grillo disse...

As pessoas que acreditam em carma, veem-no apenas como algo ruim. Mas o carma pode ser uma coisa boa também. Carrego comigo vários carmas do bem, consequência de minhas ações. Mas quando pinta um carma ruim, daí é preciso "muita carma" nessa hora... rsrsrs. bj

Jânio Dias disse...

Ah, eu também não tenho tempo para esses deslizes sobre areia e pedras. Inferno é a avenida com o sinal vermelho.

Abraço!

Vinicius Langa disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Kamila Zanetti disse...

p* mi,do c* isso!

não consigo elogiar coisas boas sem palavrão,e aqui não pode,rs

muito bom!

Caetano disse...

Carma válida só aquela calma da roça. Carma que nóis chega!

suas palavras são bailarinas de rua.

um beijo com abraço apertado

Fernanda Fassarella disse...

eita! eu perdi muito tempo!! por que não vim antes, minha nossa! lindo demais! beijos

Héctor Parente disse...

acredito nessa borra tb não!

Flávio Borgneth disse...

Carma definitivamente não, mas de destino eu gosto. O fato é que sorte e azar vem do mesmo lugar: do acaso.
Gostai do texto!

willy disse...

vc com seus escritos sempre me proporcionam lagrimas de alegria e contentamento e me poe a questionar como o mundo pode ter tantas mazelas, com pensamentos tão lindos.

David disse...

Maravilhoso.

Marcelo Grillo disse...

Amor de pai: tatuagem gravada no avesso da pele. Lindo!

Anônimo disse...

Concordo com David. :)

Tamiris

Ronni disse...

Prefiro pensar que o real e o palpável é o melhor para se viver mesmo, no presente!
Mas gosto do Intangível! Ser direcionado e impulsionado por algo maior do que eu e dançar conforme a melodia da Vida tocada por esse Ser é bom demais!
Nisso, nada de sorte! Porque não há motivos para eu crer em astros, carma, mau olhar... São muito melhores como vc os colocou... Pego, então, as suas definições, destes elementos, para mim!
Búzios, ah!, oh lembrança boa do mar!

/// Obrigado pela visita em meu blog! Vc me surpreende, sabia?

marcoaurelio disse...

Como Cientista Social, vejo as crenças pela lente da ciência. Mas, mesmo assim e talvez por isso, não ignoro o que um ponto de umbanda, ou um toque de caxambú, ou um guizo pode fazer no momento certo. Além disso, a racionalidade não passa de uma crença na própria racionalidade.

Lindo texto...profícuo em debates possíveis...Parabéns...

Henrik disse...

demais!!!!
Bom demais!

não quero falar pois não é preciso.