terça-feira, 7 de julho de 2009

Amor é Caça-Palavra



a Viviane Mosé


contrário de amor
não é ódio, rancor
não é raiva assassina
chilique, doença
dose de estricnina
nem mesmo indiferença.


contrário de amor
ao menos no meu idioma
eu circulei com vermelho
num dia de chuva:
ROMA.

13 comentários:

Flávio Borgneth disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Flávio Borgneth disse...

Eu até fiquei pensando e rindo um tempo. Simples e impossível. Charada escondida na obviedade de ver o tal do “contrário”. Arquitetura das letras. Coisa que mora naquele tempo em que palavras ainda não tinham sido presas em coisas.

Lindo.

Caetano disse...

'et roma' ecerap amu oãsserpxe me mital.
ieroda ossi.
atiseb, atinojaP

Marcelo Grillo disse...

è vero, bambina. Mas às vezes pode ser paris, veneza, sevilla, flávia, joana, maria... bj. ps.: pode ser um beijo, também.

Gabriela Galvão disse...

Maravilha, isso! (Em Roma faz-se mt amor!)


Bisous

M.Maria M. Coutinho disse...

Ri.

Ronni disse...

Legal!
Vc me lembra Cora Coralina!

Tiago Ribeiro disse...

Na boa? Demais.

RUTE disse...

Este texto aqui táva dificil de eu entender (confesso!). Li 3 vezes, e agora penso que entendi. Tou lenta hoje!

Talvez porque quando eu penso em Roma, penso em Veneza e não consigo achar o contrário de amor. Para mim Itália é romantica por natureza :-))

Tudo depende do que se pássa connosco lá! beijinho, querida ;-)

RUTE disse...

Dahhhhhhhhhhhhh eu não digo que tou lenta!!!

Que vergonha! Só agora é que entendi...caça palavra ao contrário! R-O-M-A...A-M-O-R

Milena, sua inteligência é fora de série! Agora que entendi, estou achado magnifico! Conotação GENIAL.

Xiiii eu nem acredito que fiquei enrolando texto durante tanto tempo! (pode rir que eu deixo)

VaneideDelmiro disse...

Que lindo, Milena. Sutil... Gostoso de ler e de pensar.
Nunca fui à Roma, mas o que sinto mais falta é de não conhecer o AMOR.

Daniel. disse...

paixão, etimologicamente falando, vem de pathos, patologia, padecer de algo. se é verdade que, por ter deixado o amor cego em uma brincadeira no olimpo, a loucura teve que ser eternamente guia do amor, tenho lá minhas relutâncias.. mas quanto a você ainda me pergunto, seria a milena-pathos, ou a milena-platônicamente-amor.

Daniel. disse...

?